domingo, 8 de fevereiro de 2015

Notícias do lado de cá

  Hey galere!

  Já falei sobre minhas vontades repentinas de escrever aqui né? Do nada me dá um ciricutico e tenho que sentar e escrever, se não não sossego. As vezes sinto isso frequentemente, as vezes nem tão frequente. A verdade é que venho aqui sempre que tenho algo a dividir, e eu gosto disso.
  Gostaria de poder dizer que voltarei a escrever diariamente, ou algumas vezes na semana, mas aconteceu o inevitável, eu mudei, não sou mais a mesma pessoa que começou o blog. E que bom né? Mudança é movimento, e movimento é o que faz a vida valer a pena. Eu mudei, e meus objetivos e prioridades também, e isso acontece com todo mundo um dia.
  E falando em mudança, é disso que vim falar aqui hoje. A vida é engraçada né? Tudo que eu queria pro meu estágio de fim de curso era conseguir algo legal em BH, por que além de eu amar aquela cidade, é onde o namorado mora, então nem tenho que explicar mais o por que né? Pois bem, no fim do ano passado enviei currículo como louca pra todas as empresas que fui capaz de achar em BH. Aí um dia fiquei sabendo que a Klabin havia aberto processo seletivo para estagiário na área de Geo, área em que trabalhei a graduação inteira, e certa de que nunca seria chamada enviei meu currículo. Algum tempo depois, fui chamada para entrevista e passei. Cá estou eu há um mês em Santa Catarina, a 1200 km de casa. Não tinha nem mencionado minha mudança antes por que não tinha me sentido preparada. A minha ficha cai devagar, e todo dia quando eu deitava para dormir, pensava que eu podia acordar em casa e tudo podia não ter passado de um sonho. Mas não foi, e a realidade e a ficha chegaram juntas. Deixar tudo pra trás não é fácil. Deixei família, namorado, amigos, meus gatos... tudo. Vim pra cá só com uma meia dúzia de malas e vários questionamentos, mas o que realmente me faz falta não da pra trazer.
  Era o que eu queria? Não, definitivamente não era. Mas e aí? Era o necessário, e por mais que seja amargo e indigesto, e que tentemos nos enganar colocando em dúvida a necessidade das coisas, o necessário tem que ser feito, mais cedo ou mais tarde. 
  Moral da história, nem sempre (quase nunca) as coisas acontecem como queremos, e aí eu pergunto de novo, quer fazer novos caminhos ou ficar no antigo sofrendo e se perguntando por que não foi como você queria? Como falei no último post, eu resolvi que quero fazer novos caminhos, ficar sofrendo não faz o meu tipo, até por que eu não tenho vocação para ser vítima. Escrevi o último texto mais para me dizer e me fazer entender tudo aquilo, era algo que eu precisava escutar, mas tinha que ser de mim.
  Está difícil? Claro que sim, mas eu não vou desistir, por que isso também não combina comigo. Claro que sei que não é para a vida toda, são só seis meses, e isso alivia muito o peso e a decisão de ficar.

  Maaaas falando agora da parte boa: A cidade onde estou se chama Lages, onde chove praticamente o dia inteiro e todos os dias da semana. Estou morando em uma pensão recheada de pessoas queridas, que me fizeram sentir um pouco em casa desde o início. A empresa é muito grande e é tudo bem diferente do que eu imaginava a respeito de uma empresa. As pessoas com quem trabalho foram muito legais e atenciosas, o que é super importante para ambientar uma pessoa jacu tímida como eu.  Sou grata todos os dias pelas pessoas que aparecem na minha vida. É uma oportunidade e tanto para minha vida profissional. É ruim estar longe de todos e tudo que eu amo, mas nada vem de graça né? É o 'preço' que pagamos pelas coisas. E quando mais cedo aprendemos que tudo tem um preço, mas fácil conseguimos lidar com as decisões da vida.
  Vai ser difícil ir pra casa? Sim. Mas tudo e todos que eu amo eu sempre carrego comigo no coração, e isso, não há distância que mude.
  Eu tive duas despedidas, uma em Lavras e uma em Três Pontas. Deixar Lavras também não foi fácil, o 106 foi minha casa, minha realidade por 5 anos, e sofri muito mais do que achei que sofreria por ir embora. Os lindos com quem eu morei são uma família pra mim, agradeço por tudo que aprendi e pelas pessoas maravilhosas que passaram na minha vida no tempo em que estive em Lavras.
  Essas são as fotos da despedida de Lavras:
Da esquerda pra direita: Clave (Clarissa), Lívia, Danúbia e Alírom.
Mayara e Aninha.
Jéssica e Patrick.
Jafé, Rafa, Alírom e Lucas.

E essa é da despedida de Três Pontas.
Luana, Sulipa, Gu, Jafé, Tia Cilene e João Victor (meu irmão =D). Mas se vocês perceberem até o Hadouken tava presente.
  A Bruna tava também, mas foi embora mais cedo. :'(
  E é isso, quando eu tiver mais novidades volto aqui pra contar sobre minha saga na serra catarinense. :)
Bju bju, Jú Vaz Tostes.

Pin It now!

2 comentários:

  1. Amei o post,amei seu blog <3
    Se puder dar uma passadinha no meu blog e se gostar seguir ia ajudar bastante,comecei hoje (:
    http://blogdvane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa!!!
      Obrigada flor!
      Boa sorte com o blog!

      Bju bju!

      Excluir

Fala comigo Diva!
Tem algum espaço, blog ou afins? Deixa pra mim no fim do comentário! Adoro novidades e trocar figurinhas!

:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...